Archive for the ‘ green design ’ Category

Moleco Viajante esteve aqui!

Clique na imagem para ver em uma resolução maior. : )

Moleca

Anúncios

Vigília anti nuclear

 

Ontem puder fazer parte de um ato anti nuclear aqui em São Paulo.

Na semana passada, junto com amigos da Matilha Cultural e do 350.org, pensamos a divulgação do ato. Produzi umas imagens para silkar camisetas e cartazes e convites virtuais. Depois foi a hora de espalhar o chamado nas redes.

Foi muito bom chegar lá na frente do metrô Liberdade ontem e encontrar tantas pessoas para juntos refletirmos e inspirarmos a reflexão sobre o uso da energia nuclear no Brasil… e no mundo.

Precisamos agora desenhar os próximos passos. O Brasil pode e deve querer investir em fontes limpas de energia. Para quem quiser ler mais, o Greenpeace escreveu um relatório sobre a matriz energética brasileira. A solução está aí.

Mais fotos aqui.

Os 4+ da água

Semana passada começou com o Dia Mundial da Água, 22 de março. Na internet circularam muitas idéias de preservação desse bem que nos é fundamental.

Reuni meus favoritos aqui.

1

The story of bottled water (A história da água em garrafa)

Dos mesmos criadores de The story of stuff, fala do ciclo de vida das garrafas plásticas e do nosso costume sem razão de consumir água em garrafa em vez de água em torneira. Vale um pulinho . Infelizmente, só tem em inglês.


Foto Francisco Pedro/Projeto Lixo Marinho – Global Garbage Brasil

2

O fundo da folia

O mergulhador e biólogo Francisco Pedro mergulhou ao lado do Farol da Barra (Salvador, BA) dia 21 de fevereiro, logo após o Carnaval. E encontrou a folia lá no fundo. Procurou a TV Bahia (Globo) pra denunciar e nada. Então voltou lá com o surfista Bernardo Mussi, câmera fotográfica e vídeo e registraram as imagens, procuraram novamente a imprensa e nada. Aí Bernardo escreveu um post no site da Global Garbage.
O post e as fotos fizeram sucesso no Twitter e nos blogs, sinal de que as pessoas estão preocupadas com as pegadas das nossas festas. Saiu uma matéria na TV Record e os twitts não pararam. A Ambev, preocupada com a difundida imagem negativa do lixão no fundo do mar, lançou a Operação Fundo da Folia, que eu sinceramente espero que tenha continuidade.
Vale conferir as imagens e a história do day after do Carnaval de Salvador.


3

Comer um hamburger ou uma salada? (Making the right choices to reduce your water footprint)

Quase todo designer editorial é maluco por infografia. Eu não sou diferente. E esse infográfico sobre as nossas escolhas para reduzir o consumo de água me chamou a atenção. Pra dar uma olhada e pensar bem nas escolhas que faz.

4

Desafio Computer Arts

Pra concluir, uma proposta da revista Computer Arts aos designers: crie um cartaz que incentive o uso racional da água e concorra a 2 MacBooks Apple. Eu e Eric Peleias já estamos trabalhando em nossos projetos. O prazo final é 30 de abril e tanto profissionais quanto estudantes podem participar.


Dia do Design Sustentável

design sustentavel

Reutilizar, Reduzir, Reciclar, Repensar.

Na cidade de São Paulo, dia 16 de setembro, além de ser o Dia Mundial de Proteção à Camada de Ozônio, agora é o Dia do Design Sustentável. É uma boa nova para a campanha de responsabilização dos designers sobre os impactos ambientais e sociais que o produto de nosso trabalho causa.

Quem pariu a caixinha da pasta dentrífica (adoro essa palavra), a série de embalagens do Boticário, as capas de relatórios anuais com verniz, que embale. Não temos mais desculpas nem como remendar: temos que repensar.

Infelizmente, no Brasil, a educação dos designers, principalmente gráficos como eu, é falha ao tratar de sustentabilidade. Há procedimentos simples para reduzir o impacto ambiental que não custam nada. Eu já citei aqui alguns exemplos e citarei mais.

É missão desta geração projetar um caminho mais sustentável para as próximas. Sustentável é ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. Não adianta reclamar que é difícil. Nossa função é resolver problemas. Te vira!

Sustainable design

É apenas o início da discussão. Antes tarde do que nunca.

Está em inglês.

Publicado pela OoliganPress. Gráfica-modelo em green publishing.

As madrugadas pré-Cop 15

A Cop 15 deixou muita gente sem dormir. Foi um ano trabalhando na campanha para forçar o sucesso das negociações. Lá, o pessoal do Greenpeace dormia 3 horas por dia para participar das reuniões. Como eu de-tes-to ficar de fora, também tive minhas noites sem dormir. Dediquei alguns dias e madrugadas ao Casebook of REDD Projects in Latin America que o Idesam lançou com a The Nature Conservancy …onde? Em Copenhague.

Do projeto ao livro impresso, o número de páginas triplicou. Como resolver? Isso sempre acontece. E estou começando a tentar prever esse aumento já no briefing do job. Em média, o número de páginas das publicações cresce 20%. Multiplica por 20 e divide por 100…

E esse livro ainda tem um detalhe. Foi publicado em inglês para a reunião em Copenhague. Mas ele pretende-se em português. E agora? Eu tive uma idéia que economiza tempo, dinheiro e papel: colocar o link para o PDF da versão brasileira online. O público dele tem internet… Vamos ver se o cliente topa. Não custa tentar.

Job Projeto e diagramação do livro
Cliente Idesam (Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas)

Dá pra folhear e baixar o casebook aqui.

Apuí, AM

Job Projeto e diagramação da cartilha Apuí Mais Verde.
Cliente Idesam (Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) e Secretaria de Meio Ambiente de Apuí

Leia mais e acesse PDF completo desse relatório aqui. E dá pra folheá-lo aqui também.

Foi bem interessante produzir essa cartilha. Eu não tinha muito tempo (pra variar), mas muita liberdade. Então resolvi fazer um experimento com brushes do Photoshop que havia baixado dias antes. Foi bastante divertido.

A cartilha foi impressa em couche fosco para durar mais no interior do estado. Aqui a umidade relativa é altíssima e o papel reciclado se acaba muito rápido por ser poroso demais. Apesar de não conseguir imprimir em um papel com menor impacto, optei por manter a área de sangria o mais limpa possível, fazer a lombada grampeada e não utilizar verniz. Vernizes UV são a base de petróleo e prejudicam a reciclagem do papel. Capricha no trabalho que o verniz não fará falta!

%d blogueiros gostam disto: